Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2017

Prefeito da Lapa prestigia reunião de empresários

Imagem
Carlos Fernandes, prefeito regional da Lapa, ao centro, participou de confraternização do grupo Nossa Leopoldina O prefeito regional da Lapa, Carlos Eduardo Batista Fernandes, marcou presença em confraternização de grupo de empresários que atuam na Vila Leopoldina. Na oportunidade, o movimento Nossa Leopoldina reuniu empresários para um encontro de confraternização no Barão da Brasa - Comida de Boteco, na noite de 27/11. Em pé, Carlos Fernandes e Rogério Medeiros O prefeito regional da Lapa, Carlos Fernandes, prestigiou o evento em seu início, tendo conversado com empresários sobre questões importantes para o dia dos moradores de Vila Leopoldina. À reportagem do Leopoldina News, o prefeito regional agradeceu ao grupo Nossa Leopoldina a oportunidade de debater com empresários assuntos como a Ceagesp e os moradores de rua. Disse que a prefeitura regional buscará uma solução para o problema dos moradores de rua em conjunto com a Ceagesp. Para Carlos, reuniões com empresário

Pães artesanais têm endereço certo na Vila Leopoldina

Imagem
Na Madeleine Bakery, o astro maior é o pão artesanal produzido com fermentação natural O número 42 de um dos principais endereços da Vila Leopoldina, a Rua Carlos Weber, ganhou uma ocupação nobre, que atraiu moradores do bairro durante o dia todo de sua inauguração. Falamos da Madeleine Bakery , que produz à vista dos clientes e comercializa pães artesanais com fermentação natural, aberta ao público no último sábado, 18/11, com justificado alvoroço. Daniele e o chef Marcelo: adeus ao Direito e à Publicidade Como diz o chef Marcelo Marques, proprietário do empreendimento juntamente com a esposa, Daniele Ricci Marques, a loja só tem padaria no nome – “bakery, em inglês” –, pois trata-se, na verdade, de uma “boulangerie”, que, além dos pães feitos com fermento natural – levain -, produz os bolinhos de origem francesa Madeleine, que dão nome à casa, e alguns outros confeitos europeus, como o choux cream e éclair (bombas de chocolate). GASTRONOMIA NO DNA  O novo point da Vila

Finalmente o destaque que Vila Leopoldina merece

Imagem
LEOPOLDINA NEWS vem para mostrar que nem só de Ceagesp vive a Vila Leopoldina A Vila Leopoldina era parte de um sitio chamado Emboaçava e, desde 1827, foi propriedade de João Correia da Silva. Por essa razão, segundo o historiador Levino Ponciano, passou a ser conhecida como a “Várzea dos Correias”. Tempos depois, o sítio foi parar nas mãos de jesuítas alemães, que usavam como residência um casarão nele existente. Por volta de 1894, o sítio foi dividido e a região toda ficou coalhada de chácaras dos padres. Neste mesmo ano, aconteceu o primeiro grande loteamento da vila. A empresa dona da área, a E. Richter & Comany, realizou uma jogada publicitária e alugou barcos para os futuros compradores conhecerem os lotes passeando pelo rio Tietê.  O passeio terminava num grande piquenique para mais de quinhentos convidados. O nome do bairro veio dessa época e não foi em homenagem à princesa Leopoldina, e sim a Dona Leopoldina Kleeberg, uma das sócias da empresa loteadora. | Apesa